Atendimento
(11) 4993-5400
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Evento amanhã (18) também contará com palestras, oficinas de maquiagem, técnica para usar lenços e cuidados com perucas
 
Fruto da parceria entre as disciplinas de Dermatologia e Oncologia da Faculdade de Medicina do ABC (FMABC), o Ambulatório de Reabilitação Dermatocosmiátrica para Pacientes Oncológicos lança nesta terça-feira (18 de julho), a partir das 13h30, cartilha e plataforma na internet sobre cuidados dermatológicos para pacientes com câncer.
 
Com raras citações sobre a temática na literatura médica até a implantação do serviço na FMABC, em 2004, o ambulatório tornou-se pioneiro nacional e internacionalmente. O objetivo do trabalho é melhorar a qualidade de vida e diminuir o grau de sofrimento dos pacientes, ao minimizar efeitos colaterais dos tratamentos e aumentar a autoestima. O local oferece atendimento dermatológico e cosmiátrico gratuito e integral aos pacientes, abordando prevenção, correção e camuflagem (quando não é possível corrigir) de alterações decorrentes de procedimentos cirúrgicos, da quimioterapia e da radioterapia.
 
O projeto foi criado pela dermatologista Dolores Gonzalez Fabra, que há 13 anos presta esse serviço voluntariamente junto com equipe multiprofissional. Além do lançamento da cartilha de cuidados dermatológicos para o paciente com câncer e da plataforma na internet sobre o tema, a programação do evento de amanhã conta com palestras, oficinas de maquiagem, técnica para usar lenços, cuidados com perucas, entre outros assuntos.
 
A Dra. Dolores estará no local, assim como a equipe de oncologistas, dermatologistas, esteticistas e até um tatuador que trabalha no projeto. Também estarão presentes pacientes e ex-pacientes atendidos pelo ambulatório, que poderão contar suas histórias.
 
PROGRAMAÇÃO:
13h30 – Abertura – Apresentação musical – Priscila Ferminio.
 
13h50 – Apresentação teatral – Cenas clássicas de mímica – Curso Diploma do Estúdio Luis Louis.
 
14h30 – A importância da Dermatologia e da Dermatocosmiatria no tratamento e recuperação do paciente oncológico – Dra. Dolores Gonzalez Fabra (dermatologista idealizadora do projeto).
Apresentação da plataforma “Suporte Dermatológico” (http://www.suportedermatologico.com.br/).
Apresentação da cartilha “Cuidados Dermatológicos para Pacientes em Tratamento Oncológico”.
 
15h00 – Dicas de cuidados diários com a pele para o paciente com câncer – Dra. Vanessa Salzano (dermatologista colaboradora do ambulatório).
 
15h20 – Mastectomia e micropigmentação, um olhar estético – Ronaldo Coelho (tatuador especializado em pacientes com câncer e colaborador do ambulatório).
 
15h40 – Grupos de apoio e o paciente oncológico – Vera Teruel (presidente do Grupo Viva Melhor e colaboradora do ambulatório).
 
16h00 – Coffee break.
 
16h30 – Oficinas práticas:
Maquiagem e dicas para pacientes presentes – Pétalas de Sonhos (grupo de maquiadoras voluntárias).
Como usar lenços com estilo – Ideli Anselmi (voluntária do Grupo Viva Melhor) e Valéria Alves (psicóloga e ex-paciente, cria moda para pacientes com câncer).
Cuidados com perucas – Cari Cordoba (cabeleireira e dona de salão de beleza, voluntária).
 
18h30 – Encerramento – Apresentação musical – Priscila Ferminio.
 
SERVIÇO:
Evento gratuito: Lançamento da cartilha Cuidados Dermatológicos para Pacientes em Tratamento Oncológico e do portal Suporte Dermatológico: http://www.suportedermatologico.com.br/ (além de palestras e oficinas sobre o tema).
Data: 18 de julho.
Local: Faculdade de Medicina do ABC - Anfiteatro David Uip (Av. Lauro Gomes, 2.000, Vila Sacadura Cabral, Santo André - SP).
Horário: A partir das 13h30.
Público: Pacientes em tratamento de câncer, movimentos e entidades que apoiam a causa, voluntários de associações e demais interessados no tema.
 
INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO:
Uma Realidade
Cerca de 20 milhões de pessoas têm câncer hoje no mundo e em 2030 serão 27 milhões. Só no Brasil, 600 mil novos casos devem ser diagnosticados neste ano. Apesar dos números, a sobrevida dos diagnosticados vem aumentando devido aos novos tratamentos. Durante esse processo, no entanto, os pacientes experimentam um alto grau de sofrimento, agravado por alterações dermatológicas e estéticas. Em alguns casos, as terapias podem ser tão agressivas que o enfermo abandona o tratamento. Esse fato reforça a importância do suporte dermatocosmiátrico ao longo de todo o processo.
 
Uma Missão
Em 2004, a dermatologista Dolores Gonzalez Fabra criou o primeiro ambulatório do país exclusivamente voltado à reabilitação dermatológica de pacientes com câncer, na Faculdade de Medicina do ABC, com apoio das disciplinas de Oncologia e Dermatologia. Ao longo de anos de trabalho, a médica observou comprovada diminuição no sofrimento, melhora da autoestima e da qualidade de vida dos pacientes. No entanto, não existe uma dermatologia específica para o paciente com câncer, há ainda pouca integração entre oncologia e dermatologia e falta literatura médica sobre o assunto. Desde o início do projeto, a dermatologista dissemina a ideia de que é necessário criar uma dermatologia específica para os pacientes com câncer e permitir a multiplicação deste conhecimento, em benefício de um número cada vez maior de pacientes.
 
O Projeto
Atenta à necessidade de suporte dermatológico que os pacientes com câncer demandam durante o tratamento, Dra. Dolores Gonzalez Fabra passou a se dedicar à compilação de seu extenso conhecimento, angariado ao longo de 13 anos tratando pessoas com câncer. Como resultado, o projeto Suporte Dermatológico para Pacientes Oncológicos distribui este conhecimento para vários públicos: pacientes e cuidadores, médicos oncologistas, radiologistas e dermatologistas, demais profissionais da área médica e comunidade em geral. Hoje, sua equipe conta com mais de 10 profissionais, entre dermatologistas e oncologistas assistentes, 35 acadêmicos e 10 residentes envolvidos no atendimento direto aos pacientes do ambulatório e na colaboração para produção de conteúdo para este projeto. Somam-se a eles os esforços de mais de 20 voluntárias que atuam em grupos de apoio.