Atendimento
(11) 4993-5400
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Últimas Notícias

Horários de funcionamento
Terça, 11 December 2018
article thumbnailSecretaria Acadêmica Período de 17/12/2018 à  1/2/2019 - 8h às 19h   Pós – Graduação / Residência Médica / Residência Multiprofissional / Estágio/Especialização Informamos, que o expediente da recepção da...
Nota da instituição em 2017 foi novamente superior à média geral das outras escolas médicas participantes
 
A Faculdade de Medicina do ABC alcançou em 2017 mais um ótimo conceito no Exame do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp). Assim como nas outras 12 edições da prova, a escola obteve média maior do que a geral em relação às demais 31 faculdades avaliadas. A nota de 2017, de 66%, ante a média geral de 63% de instituições públicas e particulares, mantém a FMABC no topo do ranking das melhores do Estado. Ao todo, participaram 2.636 egressos dos cursos paulistas de Medicina, sendo 109 da MedABC.
 
Segundo o Cremesp, são consideradas com bom desempenho as escolas em que pelo menos a metade dos alunos fez a prova, com resultado final de no mínimo 50% de aprovação – ou seja, acerto de 60% ou mais das 120 perguntas. “As mudanças curriculares são realizadas de forma sistemática para adequar o médico à realidade prática do dia a dia. O Exame do Cremesp é predominantemente prático, o que leva o médico formado pela FMABC a ter boas notas”, explica a coordenadora do curso de Medicina, Dra. Priscila Bogar.
 
Como em anos anteriores, as escolas médicas paulistas privadas tiveram maior percentual de reprovação do que os cursos públicos. O resultado do exame, no entanto, constatou elevada melhora do desempenho dos alunos das instituições privadas em relação a 2016. A aprovação saltou de 33% para 56%. “Além da melhoria do currículo das escolas privadas, o aluno encara o exame de outra forma e se esforça para melhorar a nota da instituição. À medida que a prova é mais valorizada entre os hospitais para credenciamento médico, nos exames de residência, os formandos fazem o exame com mais afinco. Antes disso, poucos formandos faziam a prova, já que não é obrigatória”, esclarece a vice-coordenadora do curso, Dra. Simone Holzer.
 
Pela primeira vez em 10 anos a prova teve mais de 60% de aprovados. Dos 2.636 egressos participantes, 1.702 (65%) alcançaram nota mínima. Outros 35% – ou 934 participantes – acertaram menos de 60% das questões. Das 46 escolas médicas em atividade no Estado de São Paulo em 2017, 32 foram avaliadas na prova.
 
EXAME DO CREMESP
A 13ª edição do Exame do Cremesp foi realizada no dia 22 de outubro de 2017 nos municípios de Botucatu, Campinas, Marília, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São Carlos, São José do Rio Preto, São Paulo e Taubaté. Aplicada pela Fundação Carlos Chagas (FCC) e composta por 120 questões de múltipla escolha, a prova abrangeu as áreas de Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Pediatria, Ginecologia, Obstetrícia, Saúde Pública, Epidemiologia, Saúde Mental, Bioética e Ciências Básicas.
 
O Exame do Cremesp não é obrigatório, mas, desde 2015, é utilizado entre os critérios de programas de residência médica, concursos públicos e para a contratação na rede privada. A entidade lançou campanha nacional, em formato de petição online, para que o exame se torne obrigatório em todo o País. A meta é reunir 500 mil assinaturas e encaminhar ao Congresso Nacional. Segundo o conselho, um projeto de lei com a medida está em tramitação no Senado Federal.