Atendimento
(11) 4993-5400
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Últimas Notícias

article thumbnailTrabalho desenvolvido na Faculdade de Medicina do ABC foi premiado no Congresso Brasileiro de Pneumologia e Tisiologia     Uma nova abordagem terapêutica desenvolvida pela disciplina de Pneumologia da Faculdade...
Trabalho desenvolvido na Faculdade de Medicina do ABC foi premiado no Congresso Brasileiro de Pneumologia e Tisiologia
 
 
Uma nova abordagem terapêutica desenvolvida pela disciplina de Pneumologia da Faculdade de Medicina do ABC de Santo André com 20 pacientes diagnosticados com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) trouxe melhoras expressivas da condição respiratória 12 meses após a infusão de células-tronco. Os resultados parciais da pesquisa com essa terapia foram publicados no ano passado, após seis meses do início do tratamento. O trabalho apresentado no Congresso Brasileiro de Pneumologia e Tisiologia, entre 4 e 8 de agosto, em Goiânia, foi eleito um dos dez melhores e levou o prêmio “Top 10” do evento. 
 
Os pacientes recrutados para o estudo têm idade entre 50 e 70 anos com diagnóstico de enfisema pulmonar, bronquite crônica em estágios avançados e apresentam sintomas como cansaço extremo, falta de ar e sedentarismo. Desta vez, os benefícios da terapia foram constatados no exame de cintilografia pulmonar, que avalia alterações na passagem do ar ou na circulação de sangue aos pulmões, e no teste completo de função pulmonar, chamado de pletismografia. Os exames foram feitos antes da infusão de células-tronco e repetidos 12 meses depois. O tratamento foi considerado seguro em todos os pacientes e não houve registro de efeitos colaterais.
 
“Observamos que os pacientes que fizeram tratamento com células-tronco apresentaram melhora da função pulmonar em diversas variáveis, o que sugere que a terapia pode melhorar a capacidade respiratória dos pacientes. Os resultados indicam que novos estudos nesta área –  com maior número de pacientes – são necessários para a comprovação dos achados. Mas, seguramente é um tratamento inovador que pode contribuir para o aumento da sobrevida e qualidade de vida desses pacientes”, disse a fisioterapeuta e coordenadora do Setor de Reabilitação Pulmonar da FMABC, Selma Denis Squassoni. 
 
Desde o início do estudo, em 2016, os pacientes são submetidos a testes periódicos de caminhada, escala de dispneia, além de espirometria (que mede volume e velocidade do ar para dentro e fora dos pulmões) e diversos testes completos de função pulmonar. Os resultados de outros exames anteriores e posteriores à pesquisa, como raio X e tomografia, ainda serão comparados.
 
O trabalho foi produzido por Selma Denis Squassoni, Nadine Cristina Machado, Dra. Mônica Silveira Lapa e Dr. Elie Fiss, professor titular da disciplina de Pneumologia da FMABC. Também assinam a pesquisa Dr. João Tadeu Ribeiro Paes, Dr. Elíseo Sekiya, Dr. Adelson Alves e Andressa Forte da Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Assis, Universidade de Santo Amaro (UNISA) e do Instituto de Ensino e Pesquisas (IEP) São Lucas. 
 
RECONHECIMENTO
A terapia de infusão de células-tronco para tratamento de DPOC traz diversos benefícios que posteriormente são comprovados e desmembrados após uma série de exames e avaliações técnicas. No ano passado, quando a pesquisa ainda estava em curso, outras fases do trabalho foram premiadas. No Congresso Brasileiro de Asma, DPOC e Tabagismo, em Fortaleza, o estudo apresentado destacou a melhora da qualidade de vida dos pacientes, após séries semanais de testes de caminhada com avaliações completas da função pulmonar. A análise comprovou significativa evolução da capacidade respiratória dos pacientes. Na ocasião, o trabalho também ficou entre os 10 melhores do evento. Já em setembro, a pesquisa foi selecionada para participar do 27th International Congress of the European Respiratory Society (27º Congresso Internacional da Sociedade Europeia Respiratória), em Milão, na Itália. 
 
“Essa nova premiação no Congresso Brasileiro de Pneumologia e Tisiologia é muito importante, pois trata-se de um procedimento inovador que pode trazer destaque para a disciplina, consolidar parcerias científicas e atrair novos estudos na área”, disse a professora da disciplina de Pneumologia da FMABC, Dra. Mônica Silveira Lapa, que apresentou o trabalho. 
 
REFERÊNCIA
Atualmente a disciplina de Pneumologia da FMABC conta com sete ambulatórios especializados que atendem gratuitamente via Sistema Único de Saúde (SUS), além do serviço de Reabilitação Pulmonar, que realiza média de 200 atendimentos por mês. O local é destinado principalmente a adultos e idosos portadores de bronquite crônica, enfisema pulmonar, DPOC, asma e outras patologias pulmonares. O trabalho contínuo de reabilitação promove melhoras da força muscular, da qualidade de vida e na independência. Os atendimentos ocorrem de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h, em sessões de exercícios que duram uma hora. Os grupos frequentam o espaço duas ou três vezes por semana – segundo a necessidade – e têm atividades em bicicleta ergométrica, além de alongamento e práticas de reeducação postural para fortalecimento de membros superiores e inferiores. A Faculdade de Medicina do ABC está localizada à Av. Lauro Gomes, 2.000, em Santo André (SP).